segunda-feira, 5 de abril de 2010

Segunda-feira




O final de semana do feriadão foi uma mistura de delícia e tensão.
Tensão porque a danada da menstruação chegou 3 dias atrasada, e se eu não estivesse com uma TPM tão fuderosa não teria me preocupado tanto com isso. Devido aos sintomas tão fortes, junto com picos de hipertensão, eu quase piro. Fiz cinco testes de farmácia de gravidez, chorei de tensão, etc. Na verdade, nada que me impediu de funcionar, mas sim, me deixou tensa demais e ansiosa. Nunca tive uma TPM tão forte, nunquinha. Mas estava com o amor da minha vida, abraçadinha com ele, então ficou tudo bem.
Viajamos para a fazenda de uma amiga minha, a nossa primeira viagem para mais longe. Eu, ele e meu pitozinho.
Lá não foi muito animado, poderíamos ter aproveitado mais. Na sexta-feira santa lá não se cela ou anda a cavalo, e chegaram muitos convidados que encheram a cara de bebida. Imagine! Não se pode andar a cavalo mas pode-se ficar bêbado! Uma ironia.
Já no sábado, andamos e nos divertimos. Adorei que meu lindo tenha aprendido sobre a liberdade que eu tanto falava que sentia quando estou montada. Isso por si só já valeu o dia!
Eu não pude aproveitar tanto o passeio porque com a menstrução ainda não havia chegado, ainda havia o risco de gravidez. Mas foi ótimo mesmo assim.
Dormimos abraçados todos esses dias e houve muitos, muitos momentos mágicos e inesquecíveis.
A cada dia nos afinamos mais, nos damos ainda melhor.
Hoje de manhã deixei um texto no computador dele. Nele eu peço que nos cuidemos mais, que essa é a forma que ele pode me ajudar a vencer a compulsão, controlando a compulsão eu controlo os pensamentos que me machucam. Deixando a compulsão livre, na medida em que eu engordo e perco o limite, me perco de mim mesma e entro num ciclo de sofrimento.
Quanto a ele, tudo o que pedi foi que caminhasse meia hora por dia, apenas isso. Ele fuma, está bastante gordinho, assim como eu também estou, e sua respiração quando dorme está mais arrastada e o ronco que era suave aumentou.
Não pedi que parasse de fumar ou fizesse dieta, apenas pedi que caminhasse meia hora por dia. Só isso já me ajudará tanto!
Só essa certeza de que ele está fazendo isso para ele mesmo já me daria tanta segurança!
Preciso tanto dele na minha vida. Ele e a minha vida estão completamente integrados.
Amo. Amo. Amo.
Marquei Dr. Lino Rivas, o psiquiatra que ele me disse que é ótimo. Realmente acho que vou precisar de ajuda para vencer a compulsão. Não de medicamentos para inibir o apetite ou algo assim, mas para me ajudar a vencer a compulsão em si. Pena que a consulta ainda será para o dia 18 de maio! Mas daqui até lá vou ligar todas as terças e quartas para ver se houve desistência. E sei que caso não haja alguma, não posso passar mais um mês com compulsão e esperando para ser atendida. Preciso de medidas hoje. E já que vou ficar todas as tardes presa na loja, vou precisar fazer bicicleta agora, pois hoje não dará tempo de sair para caminhar.
Vou indo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário